Menu Rápido

20 de abr de 2011

HQ - Street Fighter

Qualidade: 



 Street Fighter em quadrinhos refere-se às inúmeras séries de histórias em quadrinhos baseadas na franquia de video game homônima. Em 1993, a editora Malibu Comics lançou, nos Estados Unidos, a primeira série mensal baseada na franquia, resultando num fracasso localmente e sendo cancelada após apenas três edições. No ano seguinte a editora brasila Escala passaria a republicar a série, e, após esta esgotar-se, passou também a produzir material próprio, numa publicação que duraria 17 números adicionais. Em 1998, a editora brasileira Trama publicaria uma minissérie em quatro edições entitulada Street Fighter Zero 3, adaptando o enredo do jogo homônimo. Em 2003, a editora UDON Comics adquire os direitos sobre os personagens nos Estados Unidos e passa a publicar várias obras baseadas na franquia.


1993: Malibu Comics

Em 1993, a editora norte-americana Malibu Comics lançou uma série adaptando o jogo Street Fighter II para os quadrinhos. Após três edições, a série foi cancelada.

1994 a 1999: Brasil

Editora Escala

Durante a década de 1990, a Editora Escala publicou histórias sátiricas baseada no jogo e escrita por Marcelo Cassaro (na época editor das revistas Progames e Gamers), logo depois em 1994 publicou a série "Street Fighter" criada pela editora Malibu Comics, essa série foi cancelada nos Estados Unidos após 3 edições, os fã não gostaram de como os personagens estavam representados na história, onde na segunda edição Ken Masters é morto por Sagat.

Apesar do fim da série americana a revista publicada pela Editora Escala fez bastante sucesso, a Editora tentou negociar a publicação do mangá Street Fighter II, de Masaomi Kanzaki, sem sucesso nas negociações, optou por publicar uma continuação da série americana produzida por artistas brasileiros, Marcelo Cassaro (que também era editor do título) escreveu o roteiro de das edições #4 e #5 onde apresentava personagens do jogo que não havia sido mostrados na série da Malibu como Fei Long e Cammy White (personagens do jogo Super Street Fighter II), na edição #6, Marcelo sai da Editora Escala e vai para a Editora Trama, onde cria a revista de RPG Dragão Brasil.

Para ficar no seu lugar, Marcelo indica o quadrinista Alexandre Nagado, após a entrada de Nagado, a revista passa a se chamar "Super Street Fighter II" e abandona a continuidade da série da Malibu.

A partir da edição 14, a revista passa por uma outra mudança, é trocado o formato americano (17 x 26 cm) pelo formatinho, o número de páginas passou de 28 para 48 e volta a ser chamada de Street Fighter, também nessa edição o roteirista Rodrigo de Góes reveza roteiros com Alexandre Nagado.

A revista foi publicada até 1996 e teve 20 números, além de uma edição especial em formatinho e a adaptação oficial do filme Street Fighter: A Batalha Final estrelado por Jean-Claude Van Damme (produzida pela DC Comics).






Troca do nomes

A partir da Edição 15, pedido da Capcom, a revista deixou de usar os nomes originais japoneses.

No Japão, Balrog era o lutador espanhol que usa garras, M. Bison era o boxeador e Vega o ditador megalomaníaco, esses nomes foram trocados nos Estados Unidos para evitar processo por parte do boxeador Mike Tyson, por causa de semelhança entre M. Bison também ser um boxeador afro-americano, com a mudança, M. Bison passou a ser o nome do didador, Vega, o do lutador espanhol e Balrog, o nome do boxeador.

Apesar da mudança de nomes no Ocidente, no Japão, os nomes continuaram os mesmos.





Editora Trama

A frente da Dragão Brasil, Marcelo Cassaro cria o sistema de RPG sátirico Defensores de Tóquio, sistema que poderia ser usado usado como cenário de campanha: jogos de luta, tokusatsus, mangás e animes.

Em 1998, consegue licença da Capcom para trabalhar novamente com Street Fighter, pela Dragão Brasil lança em português o RPG Street Fighter: The Storytelling Game da White Wolf, também foi autorizado para utilizar Street Fighter como cenário oficial de 3D&T (3ª Edição de Defensores de Tóquio) e uma mini-série baseada em Street Fighter Zero 3 no estilo mangá desenhada por Érica Awano.


2003-presente: Udon Comics




















2 comentários:

digo_geologia disse...

tem mais revistinhas dos Street Fighter além dessas quinze?

digo_geologia disse...

tem mais revistas dos Street Fighter além dessas quinze?

Quais conteudos, você está mais aguardado para 2016? [ Permitido várias respostas ]